sábado, 30 de junho de 2007

Downloads de imagens de satélite

O Site da Earth Science Data Interface (ESDI) disponibiliza gratuitamente imagens de satélites em arquivos de todo o mundo. Acesse http://glcfapp.umiacs.umd.edu:8080/esdi/index.jsp

sexta-feira, 29 de junho de 2007

Google maps esta mudando o modo como vemos o mundo

Este é o título da reportagem publicada na revista Wired que pode ser acessada pelo link http://www.wired.com/techbiz/it/magazine/15-07/ff_maps . O texto esta em ingles.

GEOMARKETING

Um dos principais motivos do pouco uso dos conceitos de geomarketing no mundo dos negócios é causado simplesmente pela total falta de conhecimento da existencia dessas técnicas. Em outras palavras se já é consenso que o próprio SIG ainda não é do conhecimento de todos, quem dirá o Geomarketing. Achei muito interessante o trabalho de monografia que está concorrendo ao Prêmio Prof. Eliseu Martinz oferecido pela Fucape Business School, uma contribuição ao Geomarketing, um tema que ainda tem muito o que ser discutido, sobre suas aplicações e tendências, além dos softwares utilizados na área. Vale a pena conferir http://www.fucape.br/premio/default.asp e também votar.

SIG's ou SGI

A atual discussão sobre o uso do termo SIG's, vale a pena ser citada. Trabalhos enviados à algumas resvistas estão voltando para correção do termo Sistemas de Informações Geográficas para Sistemas Geográficos de Informação. No livro do Jorge Xavier da Silva "Geoprocessamento e Análises Ambientais: Aplicações", existe um capítulo que trata essa questão, e depois de ter um trabalho discutito sobre essa questão fui pesquisar a respeito. Geográfico diz respeito a sistemas ou informações? No caso de "Sistemas de Informações Geográficas", o geográficas está se referindo à informações (valor, nome, "atributo"), ou seja, localização de uma feição espacial. Já, "Sistemas Geográficos de Informação" o geográfico está em relação à sistemas (armazenar, manipular, consultar). E aí, galera?

Mapa de Fluxos no ArcGis

No ArcGIS é possível você modelar redes utilizando dois formatos:
A) Rede Geométrica (Geometric Network): para modelagem de redes com fluxo direcionado ("source" e "sink"), como por exemplo, para aplicações em Utilities (Água, esgoto, energia, telecomunicações, gás entre outros). Para utilizar este modelo de redes, é necessário que você tenha a versão ArcEditor ou ArcInfo do ArcGIS.
B) Rede de Transportes (NetWork Dataset): para modelagem de redes de transportes, com fluxo não-direcionado (fluxo não é controlado totalmente pelo sistema), como sistemas de arruamento e redes "multimodais". Você pode criar um sistema de redes de transporte para o Network Analyst em três formatos, sendo Shapefile, Geodatabase e StreetMap (Smart Data Compression).
A estrutura da rede (geométrica ou de transportes) baseia-se num sistema físico e outro lógico.
O sistema físico é composto por classes de feições (fontes de dados) como arruamentos, ferrovias, pontos de interesse (ponto de ônibus, pedágios, lojas e etc.) entre outros.
O sistema lógico é um conjunto de tabelas que relacionam as informações das geometrias do sistema físico (edges e junctions). Em se tratando de sistemas de redes, o ArcGIS considera os elementos lineares (linhas) como "edges" e as conexões (pontos) como "junctions". Neste caso, é necessário que você tenha a versão ArcEditor ou ArcInfo do ArcGIS e a extensão Network Analyst.
No link www.esri.com/products encontramos mais informações.

Brasil visto do espaço - Queimadas no Mato Grosso


Clique sobre a imagem para ver uma versão ampliada

Imagem do Sensor Modis mostra um série de queimadas sobre o estado do Mato Grosso (retângulos vermelhos)

Garimpando na Internet (12) - Imagens diarias da terra - Sensor Modis

A NASA disponibiliza gratuitamente imagens do sensor modis cuja resolução vai de 4km até 250m. A cobertura é planetária e operada por dois satélites : Terra e Aqua. Logo cada região do globo tem duas imagens por dia. As imagens estão disponíveis em "near realtime" com atraso de 2 a 3 horas após a passagem do satélite. O link para acesso é : http://rapidfire.sci.gsfc.nasa.gov/realtime/ . Abaixo um video que mostra como achar as imagens sobre a area de interesse.


quinta-feira, 28 de junho de 2007

Normas para confecção de mapas

No site do IBGE página da comissão nacional de cartografia estão listadas todas as normas que regem a produção de mapas. Destaca-se o decreto nº 89.817 de 20 de junho de 1984. Vale a pena dar uma olhada com atenção. o Link para a página é : http://www.concar.ibge.gov.br/indexd46b.html?q=node/16
O link para o decreto é : http://www.concar.ibge.gov.br/indexf7a0.html?q=node/41
Muita gente passa em cima do artigo 11 deste decreto que diz :

Art.11 Nenhuma folha de carta será produzida a partir da ampliação de qualquer documento cartográfico.
§1º Excepcionalmente, quando isso se tornar absolutamente necessário, tal fato deverá constar explicitamente em cláusula contratual no termo de compromisso,
§2º Uma carta nas condições deste artigo será sempre classificada com exatidão inferior à do original, devendo constar obrigatoriamente no rodapé a indicação "Carta ampliada a partir de (. .. documento cartográfico) em escala (... tal)".
§3º Não terá validade legal para fins de regularizacão fundiária ou de propriedade imóvel, a carta de que trata o "caput" do presente artigo.

Calibrando Cores no ArcGis




No blog MapCenter esta disponível um projeto do ArcGIS que é uma paleta de cores. É só imprimir o projeto e depois observar as diferenças entre as cores no monitor e na impressão. Isto ajuda a escolher cores na tela para dar as cores impressas desejadas. Abaixo do retângulo que contem cada cor vão os valores cmyk da cor. O link é do blog é http://blogs.esri.com/roller/page/mappingcenter?entry=heads_up_color_proofing_for1
O link do arquivo mxd é : http://downloads2.esri.com/MappingCenter2007/blog/ColorPalette_ArcGISMXD.zip

Mapeando a poluição da America do Norte no google earth



foi disponibilizado um arquivo kml com 30.000 instalações industriais da América do Norte onde o usuário pode conhecer com detalhes que tipo de substâncias são liberadas por cada local. O link para o site é : http://www.cec.org/naatlas/prtr/. O arquivo kml com os dados pode ser baixado de : http://www.cec.org/naatlas/prtr/North-America-PRTR-2004.kmz

quarta-feira, 27 de junho de 2007

Simulando o aumento do nível médio dos mares usando o google earth


O blog Free Geography tools publicou um tutorial interessante simulando o aumento do nivel do mar e a consequente inundação da ilha de Manhattan. Foi desenvolvido um script que permite capturar as telas dos varios momentos da inundação e em seguida é usado um programa de tranformar-las num video. O link para o artigo (em inglês) é : http://freegeographytools.com/?p=199

Mudanças Climaticas

Como sei que muitos do labgeo gostam do tema , vai ai um site excelente, que vai afundo sobre as mudanças climáticas.
www.metsul.com

Estou na área

Oi pessoal,
Finalmente consegui me conectar.
Um abraço a todos
André

Perfil topográfico no google maps




As ferramentas do google para mapeamento tem surpreendido em termos de versatilidade e aplicações e aquilo que inicialmente parecia brincadeira, mostra agora aplicações interessantes e acho que os grandes empresas de software de geoprocessamento devem estar com o alerta vermelho ligado. A mais nova aplicação é a geração de perfis topograficos que pode ser feita no site http://www.heywhatsthat.com/profiler.html sobre o google maps. Basta traçar uma linha sobre o mapa em qualquer lugar do planeta que o é gerado imediatamente o perfil sobre aquela linha.

Acervo portugues de mapas históricos - Torre do tombo


Costa desde o Maranhão ao Sul do Brasil, in Livro de Marinharia

Torre do Tombo é o nome do arquivo central do Estado Português desde a Idade Média. Com mais de 600 anos, é uma das mais antigas instituições portuguesas ativas. Eles disponibilizaram um grande arcevo de material digital na internet para download. Dentre estes uma seria de mapas alguns das época das grandes navegações. O acesso ao acervo online pode ser feito pelo link http://ttonline.iantt.pt/

terça-feira, 26 de junho de 2007

Descanso de vista - Serra do Cipó





Para descansar a vista..... Parque Nacional da Serra do Cipó, cenario lindo, vegetação que varia de Mata Atântica, Mata seca, Cerrado, Campo rupestre... um lugar lindo de encher os olhos, que o sortudo que vos escreve sobrevoou e fotografou..... Vou postar mais algumas fotos em breve...

O que vem ai no ArcGis 9.3

O site Directions Magazine traz reportagem interessante com algumas das principais novidades do ArcGis 9.3 que deve ser lançado no ano que vem. O texto esta em ingles e pode ser acessado em http://www.directionsmag.com/article.php?article_id=2494&trv=1

Garimpando na internet (11) - Bases cartográficas no site da ANA

O site da Agência Nacional de Águas (ANA) disponibiliza bases cartográficas de todo território brasileiro. Em http://hidroweb.ana.gov.br/ você encontra o link mapas, clique neste link e em seguida clique em baixar bacias. São 8 bacias hidrográficas, com arquivos no formato shp de diversos temas, como:
  • Bacias hidrográficas
  • Qualidade de água
  • Solos
  • Altimetria
  • Hidrografia
  • Vegetação, entre outros...

segunda-feira, 25 de junho de 2007

Trabalhando com Arquivos DGN no arcview/arcgis

O IBGE disponibiliza em formato DGN uma grande quantidade de cartas planialtimetricas em escalas que vao desde 1:25.000 até 1:500.000. Estes arquivos podem ser lidos no arcview com o uso da extensão Cad Reader e no ArcGis diretamente. Assim sendo é possivel exportar os arquivos para o formato shapefile. Ao realizar a exportação deparamos com as coordenadas mostradas de uma forma pouco usual, UTM em quilometros. Para resolver este problema e necessario utilizar o ArcToolbox do ArcGis. Os passos necessarios são :

  • Converter o arquivo de dgn para shapefile
  • Definir a projeção atual do shape (SAD69)
  • modificar a definiçaõ das coordenadas da projeção atual de metros para quilometros
  • projetar o shape informando a nova projecao igual a projeção atual com unidade em metros.

Assista ao video abaixo que mostra toda a operação




sábado, 23 de junho de 2007

Google Earth no Youtube

No site do YOUTUBE tem uma palestra (em inglês) sobre o Google Earth. A palestra tem duração de 52 min e mostra muitas possibilidades de uso desse software.Para visualiza-lá acesse o link:
http://www.youtube.com/watch?v=5huNq-iCBGI
ou assista clicando sobre o video abaixo



Juliana Dias

sexta-feira, 22 de junho de 2007

Garimpando na Internet (10) - Mosaicos de imagens Landsat (ETM+)

No link http://glcfapp.umiacs.umd.edu:8080/esdi/index.jsp podem ser baixados mosaicos de imagens Landsat 7 com resolução de 15m do planeta inteiro. Cada imagem cobre uma area de 5 x 6 graus. Todo o material é compactado usando o compactador MrSid que reduz o tamanho do material de alguns gibabytes para poucas centenas de megabytes sem perdas significativas da qualidade da imagem. Maiores informações sobre o produto : https://zulu.ssc.nasa.gov/mrsid/docs/GeoCover_circa_2000_Product_Description.pdf

quinta-feira, 21 de junho de 2007

Imagem do Satelile ALOS





Imagem do satelite ALOS mostrando parte da Nova Zelandia. As imagens do ALOS serão distribuidas pelo IBGE no Brasil, a partir de Agosto de 2007. O ALOS tem 3 tipos de produtos sendo 2 óticos e um radar. Para saber mais sobre os produtos clique no link :
http://www.alos-restec.jp/aboutalos6_e.html

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Garimpando na Internet (6) - Extensões para ArcGis e ArcView Free

OS usuários do Arcgis e do ArcView não podem deixar de visitar o site http://arcscripts.esri.com . Lá está disponivel gratuitamente algumas centenas de extensões que facilitam a vida e aumentam a versatilidade dos sigs da ESRI. E possivel procurar por palavras chave e ordenar as extensoões por nome ou numero de downloads. Uma dica para os usuarios do ArcView é a extensão Xtools.

GRASS

Sistema de Suporte ao Análise de Recursos Geográficos
Geographic Resources Analysis Support System
Opção de software GIS - De uso geral livre


Por Dr Helena Mitasova, Departamento da Marinha , Ciências Atmosféricas e da Terra, Universidade do Estado da Carolina do Norte – EUA.
Markus Neteler, Pesquisador do Centro para pesquisa e científica e tecnológica, Trento, Itália. IN: Revista GIM INTERNACIONAL VOLUME13 ANO2003.


GRASS GIS é o software o qual tem código fonte aberto. Possui um importante papel na ciência da geo-informação por fornecer um grande acesso em seu código fonte e no suporte de sua infra-estrutura baseada na Web.
O software é desenvolvido por um amplo grupo internacional de programadores e coordenado por uma lista enviada por seus colaboradores. O colaborador mais ativo tem amplo acesso a CVS (Sistema de Versão Simultânea), permitindo a submissão do código. Muitos colaboradores são usuários avançados do GRASS, o quem o melhora ou aumenta a funcionalidade existente baseado na sua necessidade diária do uso do GIS.
Embora o GRASS tenha sido originalmente desenvolvido para aplicação no planejamento do uso da terra, essas capacibilidades têm sido expandida e usada em muitos campos incluindo a Engenharia, Hidrologia, Geologia, Ecologia, Sensoriamento Remoto, e negócios. Ele foi projetado como um de 300 módulos fornecendo ferramentas para gerenciar, exposição e análise do raster ou vetor, dados do local da imagem, e executar uma escala larga de modelamento de tarefas.
O GRASS fornece ferramentas para administração e exposição da análise de dados raster ou vetor, módulos da quadriculação incluindo a análise da álgebra do mapa, de vertente de água, MDE, operadores de vizinhança, estatísticas espaciais, linha de visada e no modelo hidrológico, o processamento de imagens fornece ferramentas para retificação da imagem e classificação. Ao lado do módulo padrão 2D, o módulo de visualização interativa permite a visualização de superfícies múltiplas, vetores e camadas locais são mostradas no espaço 3D e permitindo uma navegação e animação dinâmica da superfície. Na intenção na expansão das configurações das potencialidades do GRASS através dos esforços de muitos outros projetos livres do GIS, tais como: GDAL (www.remotesensing.org/gdal ) para importar dados raster, linguagem estatística R (www.r-projects.org) ou gstat ( www.gstat.org) para análise geo-estatística. Para o suporte de mapeamento online o GRASS pode ser direcionado diretamente para o software livre UNM/MAP SERVER ( http://mapserver.gis.umn.edu) que gera uma plataforma poderosa para o mapeamento dinâmico na WEB quando estendido com PostgreSQL e POSTGIS (http://postgis.refractions.net).

Conclusão
O GRASS é usado atualmente em ajustes acadêmicos e comerciais em todo o mundo, bem como por muitas agências governamentais e companhias de consultoria ambientais. Torna-se uma opção de software livre com amplas possibilidades com grandes semelhanças aos softwares comerciais usados tradicionalmente.

RESUMO TRADUZIDO POR JULIANA RODRIGUES DIAS
Mais informações visite o site: (http://grass.itc.it/)

Onde está o CBERS2 ?


Uma página interessante que permite visualizar em tempo real a órbita dos satélites. No link
http://www.n2yo.com/?s=28057 pode ser vista a órbita do satélite CBERS2. É possível selecionar uma série de satélites de sensoriamento remoto, GPS, meteorológico etc.

sexta-feira, 15 de junho de 2007

Garimpando na Internet (5) - Videografia Aérea na Amazônia

O projeto Geoma em parceria com o INPE, INPA e Museu Paraense Emílio Goeldi realizou um sobrevou no período de 28 de maio a 12 de junho de 2006, início da estação seca em grande parte da Amazônia Brasileira, utilizando técnica de videografia aérea para produzir diversas fotografias da região. No site podem ser baixadas as fotografias aéreas. São mais de 30000 fotografias aéreas.

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Garimpando na internet (3) - Imagens Landsat Free

Um grande acervo de imagens Landsat 7 ortorretificadas esta disponivel para download gratuito no site da universidade de Maryland. o link é http://glcfapp.umiacs.umd.edu:8080/esdi/index.jsp
Escolha a opcao map search e a i um mapa mundi vai aparecer. Na esquerda selecione que tipo de imagem te interessa (ETM 15m, TM 30m e MSS 60m) .Click sobre o local de interesse para dar zoom até aparecer as imagens que te interessam. Para selecionar click no menu sobre a seta com um sina positivo e click sobre a imagem de interesse. A seta com sinal negativo serve para desselecionar uma imagem. Após selecionar click em preview download e voce sera levado a uma tela onde aparece uma lista de imagens que satisfaz o critério de busca. Click sobre o id da imagem para selecionar e click em download para abrir uma outra pagina para baixar as imagens. La basta clicar sobrre elas e salvar no seu computador.

segunda-feira, 11 de junho de 2007

O Brasil visto do espaço (2) - Encontro das águas visto pelo sensor Aster


Click na imagem para ver uma versão ampliada
Imagem belissima feita pelo Sensor ASTER a bordo do satélite Terra. Mostra o encontro das águas barrentas do Rio Solimões, que aparecem em tons esverdeados, com as águas escuras e ácidas do Rio Negro. A cidade de Manaus pode ser vista a esquerda. As imagens do sensor Aster estiveram disponiveis para download gratuito por um bom tempo. Hoje são comercializadas e o preço gira em torno de US$ 90,00 a cena de 60x60 km. Elas tem resolução que vai de 15m, 30m e 60m. Temos um bom acervo de imagens Aster para o estado de Minas Gerais, baixadas na época em que estavam disponíveis gratuitamente e a qualidade dela na resolução de 15m é muito boa.
Fonte : Nasa

domingo, 10 de junho de 2007

O Brasil visto do espaço (1) - Região Sudeste


Clique na imagem para ver a versão ampliada

Imagem do Satelite ENVISAT mostrando o litoral e parte da região Sudeste. As cidades de Sâo Paulo e Rio de Janeiro aparecem na parte de baixo da imagem. Da para ver tambem a serra do mar e a serra da mantiqueira e na parte de cima da imagem a cidade de Belo Horizonte. Aparece nitidamente em forma circular a cratera vulcânica onde esta localizada a cidade de Poços de Caldas em Minas Gerais. Fonte : ESA

Garimpando na Internet (1) - IBGE Base digitital de Mapas planialtimétricos

Quem trabalha com geoprocessamento sabe que montar bases de dados normalmente consome a maior parte de um projeto em SIG. Estaremos reportando aqui sites que tem bases de dados disponíveis para download. O primeiro deles é o IBGE, onde pode-se encontrar muita coisa interessante. A partir do site http://www.ibge.gov.br click no link download em seguida em geociências - mapas - topográficos você terá acesso a base digital de mapas plani-altimétricos do IBGE em escalas variando de 1:25.000 a 1:1.000.000. Cada carta é composta de vários temas incluindo curvas de nível, hidrografia, estradas, localidades etc. Os arquivos estão em formato DGN, e podem ser lidos em Arcview e ArcMap sem maiores dificuldades. Esta base seria o sonho de todo profissional de geoprocessamento se o IBGE tivesse cotado as curvas de nível. Se você necessitar da altimetria prepare-se para gastar um bom tempo cotando curvas. O IBGE disponibilizou juntamente com os arquivos vetoriais uma versão em PDF do mapa. Adorei isto porque muitas vezes você precisa do mapa do IBGE tal qual ele esta impresso em papel e gastava um bom tempo montando ele no SIG. O IBGE disponibiliza algo como 90 gigabytes de dados no site e estaremos aqui garimpando outras informações interessantes e postando aqui. O site deles é meio lento durante o horário comercial. Outra maneira de acessar direto os dados do IBGE e através do FTP deles : ftp://geoftp.ibge.gov.br/mapas/topograficos/

TerraSar-X será lançado em breve

Vem ai um novo radar em plataforma orbital com resolução de até 1m. O satélite será lançado por um foguete Russo no dia 15 de junho. Tem uma capacidade de revisita de 2 a 4 dias e pode operar em diferentes resoluções desde 16m, 3m e 1m. Sua órbita polar tem duração de 90 minutos e como é um sensor ativo e capaz de imagear durante 24 horas independente de condição atmosférica. Para 2008 esta previsto o lançamento do satélite TanDEM-X que em órbita conjunto com o TerraSar-X será capaz de gerar MDEs com resolução de 2 metros. O projeto prevê a cobertura de todo o planeta ao final de 3 anos. No Brasil os produtos TerraSar serão comercializados pela Imagem, Engesat e Terranova.


TerraSar - X
http://www.terrasar.de/

TanDEM-X
http://www.terrasar.de/en/prod/tandem/index.php

sábado, 9 de junho de 2007

DELL DELL DELL

Já estão sendo instalados os três novos computadores Dell Workstation que foram adquiridos com recursos do projeto "Metais Pesados". São maquinas com processadores Core duo e 1 gb de RAM e HDs de 300 GB e Monitores de LCD de 19 polegadas.

sexta-feira, 8 de junho de 2007

Melhorando a qualidade visual de MDEs SRTM


MDE SRTM do munícipio de Eunapólis - Click na imagem para ve-la no tamanho original

Consegui melhorar bastante a qualidade visual de MDEs SRTM usando os interpoladores presentes no módulo Spatial Analyst do ArcGis. Em breve farei um tutorial detalhado. Por hora vou listar os passos principais:
1 - Recortar a área de interesse no grid do SRTM
2 - Mudar a projeção original de Geografica para UTM
3- Converter o Grid para vetor tipo ponto (Spatial Analyst - Convert - RasterToFeature)
4- Interpolar os dados para a resolução desejada, ArcToolBox - Spatial Analyst Tools - Interpolation - Spline . Vai abrir uma janela de dialogo onde voce deve entrar o nome do shapefile de pontos, qual o campo contem os dados de altimetria e qual o nome do grid de saída e qual o tamanho de célula a ser criado. Eu obtive resultados muito bons com células de 10 e 15 m.
Para pequenas áreas e possível chegar a resoluções grandes. Cuidado com o tamanho do arquivo lembre-se que cada vez que o você da um amplia 2 vezes o tamanho do grid aumenta em 4 vezes. Melhorando a resolução do SRTM de 90m para 10m faz com que o tamanho do arquivo aumente em 81 vezes!!! Dentre os interpoladores que eu testei obtive os melhores resultados com o spline, mas isto ainda precisa ser avaliado mais criteriosamente. Observe que este procedimento melhora a qualidade visual do MDE SRTM mas não da para saber o que acontece com a precisão numérica dos dados. Estamos começando a trabalhar para verificar se a interpolação piora, não muda ou melhora a qualidade dos dados.

Site do ArcGis : http://www.esri.com/

Começando......

Este blog se destina a toda a população do LabGeo. A idéia é colocar aqui tutoriais, dicas, metodologias, projetos etc. relativos a área de geoprocessamento. Vamos compartilhar o conhecimento adquirido.