domingo, 28 de dezembro de 2008

ArcGis 9.3.1 vem ai

O blog do ArcGis postou notícia a respeito do lançamento da nova versão do ArcGis a 9.3.1, que segundo a ESRI nesta versão o foco é melhorar a performance e facilitar o compartilhamento de dados. Para ler mais acesse o Blog do ArcGis. Agora é esperar o lançamento e aguardar os service pack.
 
veja outros post sobre :  Argis 9.3    ArcGis

 

Acesse também o Blog do ArcGis

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Fundamentos de Cartografia

Fundamentos de Cartografia é uma apostila publicada pelo LTC UFES que aborda os aspectos básicos e conceituais da Cartografia. Para fazer o download da apostila no formato PDF clique no link : Cartografia.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Ebook: INTEGRAÇÃO DA ESTATÍSTICA ESPACIAL EM AMBIENTES GIS

Este texto é a monografia de qualificação de Karla Donato Fook e discute a integração de pacotes estatísticos e Sistemas de Informação Geográfica. Para fazer o download do texto em formato PDF clique aqui.

RESUMO
Este trabalho apresenta um panorama da integração da estatística espacial em ambientes GIS (Geographical Information Systems). Uma visão das necessidades existentes nas comunidades de GIS e de Estatística Espacial com relação a tal integração é destacada. Para tanto, o texto descreve, de forma introdutória, a análise estatística de dados espaciais. A estatística espacial é tratada dentro de um contexto mais voltado à utilização de ferramentas computacionais. Um levantamento do que já existe em termos de integração destas áreas é realizado e exemplos de integração são apresentados. Alguns desafios presentes na integração entre tecnologias são elencados no final do documento.

Ebook : Manual de Hidrologia Básica para Estruturas de Drenagem

Manual de Hidrologia Básica para Estruturas de Drenagem é um texto tecnico produzido pelo DNIT, no formato PDF.
Para baixar o texto clique aqui.

SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO 5
2 RELAÇÃO COM AS ENCHENTES E INUNDAÇÕES 7
3 TEMPO DE RECORRÊNCIA 9
4 RELAÇÃO ENTRE NÍVEIS D’ÁGUA E DESCARGA DE PROJETO 13
5 MÉTODOS ESTATÍSTICOS 15
5.1. TRANSPOSIÇÃO DE DADOS 15
5.2. VALIDADE 15
5.3. MÉTODO DE GUMBEL 17
5.4. MÉTODO DE HAZEN 23
5.5. MÉTODO DE LOG PEARSON TIPO III (LP-III) 29
5.6. ESTATÍSTICA DE VOLUMES DE ENCHENTES 35
6 MÉTODO DO FLUVIOGRAMA UNITÁRIO SINTÉTICO 37
6.1. GENERALIDADES 37
6.2. VALIDADE 38
6.3. CHUVA DE PROJETO 39
6.3.1. RELAÇÃO PRECIPITAÇÃO-DURAÇÃO-FREQÜÊNCIA 39
6.3.2. SIMULTANEIDADE DAS CHUVAS. 43
6.3.3. DISTRIBUIÇÃO DA CHUVA EM ÁREA 52
6.3.4. DISTRIBUIÇÃO DA CHUVA NO TEMPO 55
6.4. RELAÇÃO CHUVA-DEFLÚVIO 56
6.4.1. CURVA DE MOCKUS. 56
6.4.2. CHUVAS ANTECEDENTES 61
6.4.3. INFILTRAÇÃO MÍNIMA 63
6.5. FLUVIOGRAMA UNITÁRIO TRIANGULAR 64
6.5.1. TEMPO DE CONCENTRAÇÃO 64
6.5.2. CONFORMAÇÃO DO FLUVIOGRAMA UNITÁRIO 81
6.5.3. COMPOSIÇÃO DO FLUVIOGRAMA TOTAL 85
6.6. MÉTODOS DE CÁLCULO 89
6.6.1. CHUVAS DE PROJETO 89
6.6.2. EXPRESSÃO DA CHUVA DO ENG° OTTO DFAFSTTETTER 89
6.6.3. CÁLCULO DE DEFLÚVIOS 96
6.6.4. COMPOSIÇÃO DO FLUVIOGRAMA 98
7 MÉTODO RACIONAL 109
8 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 117

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Inpe testa satélites Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres CBERS-3 e CBERS-4

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCT) iniciou os testes do modelo mecânico dos satélites Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (Cbers) 3 e 4, com lançamentos previstos para 2010 e 2013, respectivamente. Realizados no Laboratório de Integração e Testes (LIT) do Inpe, em São José dos Campos (SP), o objetivo é simular, com ensaios vibratórios e acústicos, as condições que atuam na estrutura do satélite na fase de lançamento.

O projeto, fabricação e testes da estrutura mecânica dos satélites é responsabilidade do Brasil, que divide igualmente com a China o desenvolvimento dos Cbers-3 e 4. Para essa etapa, o Inpe contratou o consórcio Cenic/Fibraforte (CFF), que segue projeto preliminar e requisitos estabelecidos pelo Instituto.

Os Cbers -3 e 4 representam uma evolução das versões anteriores (Cbers-1, 2 e 2B), este último lançado em setembro de 2007. Para as novas unidades serão utilizadas no módulo carga útil quatro câmeras (Câmera PanMux - Panmux, Câmera Multi Espectral - Muxcam, Imageador por Varredura de Média Resolução - IRSCam, e Câmera Imageadora de Amplo Campo de Visada - WFicam) com desempenhos geométricos e radiométricos melhorados. A órbita dos dois satélites será a mesma que das versão anteriores.

Fonte : Convergência Digital


EBOOK : Hidrologia Estatistíca

Ebook produzido pela CPRM aborda ferramentas estatísticas e sua utilização em estudos de hidrologia.  O Download pode ser feito por capítulos ou a obra completa cujo link se encontra no final do índice.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

3DEM Terrain Visualization - Vendo o mundo em 3D

Vale a pena dar uma olhada neste aplicativo freeware (3DEM). Ele permite visualizar em 3D grids em diversos formatos. Tem inclusive a possibilidade de criar um AVI com a superficie girando. Ele abre arquivos SRTM no formato HGT, que podem ser baixados diretamente da NASA. É um programa interessante para montar blocos diagrama.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Zoneamento Agroambiental para o Setor Sucroalcooleiro

O Governo do estado de Sâo Paulo divulgou o primeiro zoneamento agroambiental para o setor sucroalcooleiro no Estado de São Paulo, no formato shapefile.  O trabalho foi executado por pesquisadores da Secretaria de Agricultura e Abastecimento e da Secretaria de Meio Ambiente.Os mapas trazem dados sobre cada localidade paulista e a aptidão para as atividades agroindustriais ligadas à cana-de-açúcar. Os arquivos com os mapas de aptidão edafoclimática (com características de solo e clima) e outro sobre zoneamento agroambiental estão disponibilizados na homepage do SIAGRO. Para baixar o arquivo de zoneamento agroambiental clique aqui e para baixar o arquivo de aptidão edafoclimática clique aqui.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Decreto 6666 instituia a Infra-estrutura Nacional de Dados - INDE


DECRETO Nº 6.666, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2008.

Institui, no âmbito do Poder Executivo federal, a Infra-Estrutura Nacional de Dados Espaciais -INDE, e dá outras providências.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea “a”, da Constituição, e tendo em vista o disposto no Decreto n89.817, de 20 de junho de 1984, e no Decreto de 1de agosto de 2008, que dispõe sobre a Comissão Nacional de Cartografia -CONCAR,

DECRETA:

Art. 1Fica instituída, no âmbito do Poder Executivo federal, a Infra-Estrutura Nacional de Dados Espaciais -INDE, com o objetivo de:

I -promover o adequado ordenamento na geração, no armazenamento, no acesso, no compartilhamento, na disseminação e no uso dos dados geoespaciais de origem federal, estadual, distrital e municipal, em proveito do desenvolvimento do País;

II -promover a utilização, na produção dos dados geoespaciais pelos órgãos públicos das esferas federal, estadual, distrital e municipal, dos padrões e normas homologados pela Comissão Nacional de Cartografia -CONCAR; e

III -evitar a duplicidade de ações e o desperdício de recursos na obtenção de dados geoespaciais pelos órgãos da administração pública, por meio da divulgação dos metadados relativos a esses dados disponíveis nas entidades e nos órgãos públicos das esferas federal, estadual, distrital e municipal.

§ 1Para o atingimento dos objetivos dispostos neste artigo, será implantado o Diretório Brasileiro de Dados Geoespaciais -DBDG, que deverá ter no Portal Brasileiro de Dados Geoespaciais, denominado “Sistema de Informações Geográficas do Brasil -SIG Brasil”, o portal principal para o acesso aos dados, seus metadados e serviços relacionados.

Art. 2Para os fins deste Decreto, entende-se por:

I -dado ou informação geoespacial: aquele que se distingue essencialmente pela componente espacial, que associa a cada entidade ou fenômeno uma localização na Terra, traduzida por sistema geodésico de referência, em dado instante ou período de tempo, podendo ser derivado, entre outras fontes, das tecnologias de levantamento, inclusive as associadas a sistemas globais de posicionamento apoiados por satélites, bem como de mapeamento ou de sensoriamento remoto;

II -metadados de informações geoespaciais: conjunto de informações descritivas sobre os dados, incluindo as características do seu levantamento, produção, qualidade e estrutura de armazenamento, essenciais para promover a sua documentação, integração e disponibilização, bem como possibilitar a sua busca e exploração;

III -Infra-Estrutura Nacional de Dados Espaciais -INDE: conjunto integrado de tecnologias; políticas; mecanismos e procedimentos de coordenação e monitoramento; padrões e acordos, necessário para facilitar e ordenar a geração, o armazenamento, o acesso, o compartilhamento, a disseminação e o uso dos dados geoespaciais de origem federal, estadual, distrital e municipal;

IV -Diretório Brasileiro de Dados Geoespaciais -DBDG: sistema de servidores de dados, distribuídos na rede mundial de computadores, capaz de reunir eletronicamente produtores, gestores e usuários de dados geoespaciais, com vistas ao armazenamento, compartilhamento e acesso a esses dados e aos serviços relacionados; e

V -Portal Brasileiro de Dados Geoespaciais, denominado “Sistema de Informações Geográficas do Brasil -SIG Brasil”: portal que disponibilizará os recursos do DBDG para publicação ou consulta sobre a existência de dados geoespaciais, bem como para o acesso aos serviços relacionados.

§ 1Os dados estatísticos podem, a critério do órgão produtor, ser considerados como dados geoespaciais, desde que estejam de acordo com a definição do inciso I do caput.

§ 2Serão considerados dados geoespaciais oficiais aqueles homologados pelos órgãos competentes da administração pública federal, e que estejam em conformidade com o inciso I do caput.

Art. 3O compartilhamento e disseminação dos dados geoespaciais e seus metadados é obrigatório para todos os órgãos e entidades do Poder Executivo federal e voluntário para os órgãos e entidades dos Poderes Executivos estadual, distrital e municipal.

§ 1Constituem exceção a esta obrigatoriedade as informações cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e do Estado, nos termos do art. 5o, inciso XXXIII, da Constituição e da Lei n11.111, de 5 de maio de 2005.

§ 2Os dados geoespaciais disponibilizados no DBDG pelos órgãos e entidades federais, estaduais, distritais e municipais devem ser acessados, por meio do SIG Brasil, de forma livre e sem ônus para o usuário devidamente identificado, observado o disposto no § 1o.

Art. 4Os órgãos e entidades do Poder Executivo federal deverão:

I -na produção, direta ou indireta, ou na aquisição dos dados geoespaciais, obedecer aos padrões estabelecidos para a INDE e às normas relativas à Cartografia Nacional;e

II -consultar a CONCAR antes de iniciar a execução de novos projetos para a produção de dados geoespaciais, visando a eliminar a duplicidade de esforços e recursos.

Art. 5Compete ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística -IBGE, como entidade responsável pelo apoio técnico e administrativo à CONCAR:

I -construir, disponibilizar e operar o SIG Brasil, em conformidade com o plano de ação para implantação da INDE, de que trata o inciso VIII do art. 6o;

II -exercer a função de gestor do DBDG, por meio do gerenciamento e manutenção do SIG Brasil, buscando incorporar-lhe novas funcionalidades;

III -divulgar os procedimentos para acesso eletrônico aos repositórios de dados e seus metadados distribuídos e para utilização dos serviços correspondentes em cumprimento às diretrizes definidas pela CONCAR para o DBDG;

IV -observar eventuais restrições impostas à publicação e acesso aos dados geoespaciais definidas pelos órgãos produtores;

V -preservar, conforme estabelecido na Lei n5.534, de 14 novembro de 1968, o sigilo dos dados estatísticos considerados dados geoespaciais de acordo com o § 1do art. 2o; e

VI -apresentar as propostas dos recursos necessários para a implantação e manutenção da INDE.

Parágrafo único. O IBGE enviará à CONCAR, anualmente, relatório das atividades realizadas com base neste artigo.

Art. 6Compete à CONCAR:

I -estabelecer os procedimentos para a avaliação dos novos projetos de que trata o inciso II do art. 4o;

II -homologar os padrões para a INDE e as normas para a Cartografia Nacional, nos termos do Decreto-Lei n243, de 28 de fevereiro de 1967, e do Decreto no89.817, de 20 de junho de 1984;

III -definir as diretrizes para o DBDG, com o objetivo de subsidiar a ação do IBGE, nos termos do inciso III do art. 5o;

IV -garantir que o DBDG seja implantado e mantido em conformidade com os Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico, mantidos pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão;

V -promover o desenvolvimento de soluções em código aberto e de livre distribuição para atender às demandas do ambiente de servidores distribuídos em rede, utilizando o conhecimento existente em segmentos especializados da sociedade, como universidades, centros de pesquisas do País, empresas estatais ou privadas e organizações profissionais;

VI -coordenar a implantação do DBDG de acordo com o plano de ação para implantação da INDE, de que trata o inciso VIII deste artigo;

VII -acompanhar, na forma do parágrafo único do art. 5o, as atividades desempenhadas pelo IBGE previstas no referido artigo; e

VIII -submeter ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão plano de ação para implantação da INDE, para atender ao estabelecido neste Decreto, até cento e oitenta dias após a sua publicação 1 , contendo, entre outros, os seguintes aspectos:

a) prazo para implantação das estruturas física e virtual do DBDG e do SIG Brasil;

1 Significa dizer: provavelmente o prazo máximo terminará no dia 28 de maio de 2009.

b) prazo para a CONCAR homologar normas para os padrões dos metadados dos dados geoespaciais;

c) prazo para os órgãos e entidades do Poder Executivo federal disponibilizarem para a CONCAR e armazenarem, no servidor do sistema de sua responsabilidade, os metadados dos dados geoespaciais de seu acervo;

d) prazo para início da divulgação dos metadados dos dados geoespaciais e da disponibilização dos serviços relacionados, pelo SIG Brasil;

e) regras para disponibilização na INDE dos metadados de novos projetos ou aquisições de dados geoespaciais;e

f) recursos financeiros necessários para a implantação da INDE, ouvido o IBGE, nos termos do inciso VI do art. 5o, incluindo as necessidades do DBDG e do SIG Brasil, bem como os recursos financeiros necessários ao desenvolvimento de padrões, para divulgação da INDE, capacitação de recursos humanos e promoção de parcerias com entidades e órgãos públicos federais, estaduais, distritais e municipais.

Art. 7Caberá à Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, promover, junto aos órgãos das administrações federal, distrital, estaduais e municipais, por intermédio da CONCAR, as ações voltadas à celebração de acordos e cooperações, visando ao compartilhamento dos seus acervos de dados geoespaciais.

Art. 8Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 27 de novembro de 2008; 187da Independência e 120da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

Paulo Bernardo Silva

Este texto não substitui o publicado no DOU de 28.11.2008


Mapas disponibilizados pela SEI – Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia representando Mapa de Divisão Político Administrativa, Pluviometria, Mapa Índice de Folhas Topográficas, Hipsometria, Territórios de identidade.. Disponível em formato pdf.
Mapa - Divisão Política Administrativa - BA - 2000Mapa - Índice das Folhas topográficas - BA - 2000Mapa - Territórios de Identidades 2007Mapa - Territórios de Identidade 2007
Divisão Político-Administrativa BA - 2000Mapa Índice das Folhas Topográficas BA - 2000Pluviometria BA - 2003Territórios de Identidade
 

USGS libera acervo de imagens Landsat para download

O Serviço Geológico Americano (USGS) liberou para acesso a biblioteca completa de imagens dos satélites da série Landsat desde o Landsat 1 até o Landsast 7, cobrindo 35 anos de imageamento da terra. Para fazer o download das imagens acesse o USGS Global Visualization Viewer (Glovis) ou o EarthExplorer.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Geodésia online - Artigos 2007-2008

Artigos publicados pela Géodesia online, que podem ser baixados gratuitamente, cobrindo os anos de 2007-2008.